A edita

a edita

Nós acreditamos no poder das histórias para transformar o mundo.

A Editacuja nasceu em setembro de 2008, em São Paulo, como uma casa editorial multiplataforma, inspirada nos repertórios e experiências de áreas aparentemente distintas: a engenharia e a antropologia. Voltada para o desenho de conteúdos e ações educacionais que contribuíssem para a transformação real e a publicação de literatura impressa, a editora foi se transformando e agregando novas dimensões à sua atuação. 

 

Doze anos depois da nossa fundação, expandimos com as iniciativas, territórios e, principalmente, as pessoas com quem criamos. Temos raízes fundadas nos princípios do nosso Manifesto e na integração de três pilares para o desenvolvimento do nosso trabalho: contextos, narrativas e tecnologias. Hoje somos uma editora, escola e consultoria que desenvolve projetos de cultura, inovação e impacto. 

 

Somos pioneiros em Blended Learning e Transmídia Educacional na América Latina. Criamos e integramos metodologias, antecipamos tendências para construir futuros desejáveis, construímos alianças e fortalecemos redes, seguindo o caminho da Descoberta, da Experiência e da Invenção. Sempre dispostos a nos transformar com os cenários, as pessoas, as ideias luminosas – não é por acaso o nosso nome, Editacuja.

Nós acreditamos que as fronteiras se diluem quando atuamos em rede.

A Editacuja tem sua sede em São Paulo, mas suas ações, presenciais e remotas, já alcançaram qautro continentes: América do Sul, América do Norte, Europa e África. Realizamos projetos, consultorias, workshops e palestras na Colômbia, nossa segunda casa, na Argentina, Peru, México e Uruguai; expedições educacionais, nos EUA; multiplicamos nossas metodologias no Sudão do Sul,  na França e na Alemanha. Nosso laboratório de inovação, o Appiario, além de suas ações itinerantes, foi implementado fisicamente no Brasil (em Santa Cruz Cabrália, na Bahia) e em San Vicente Ferrer e Santa Marta (Colômbia). Nós fazemos parte do GIG – Global Innovation Gathering, rede de laboratórios de inovação da África, Ásia, América do Sul e Europa.

MARTIN RESTREPO
cofundador

Inovador social e educacional colombiano, radicado no Brasil desde 2008. Foi reconhecido pelo MIT Technology Review com o prêmio Innovators Under 35 pelo seu trabalho com comunidades rurais e jovens, aplicando a inovação e a tecnologia para resolver problemas sociais. Tem criado diversas metodologias de aprendizagem transmídia, experiencial e de conexão de narrativas, tecnologias e mundo real. Foi embaixador da nação digital Bitnation e de Aeternity Blockchain, foi parte do conselho supervisor do Global Innovation Gathering e da equipe editora do Mozilla Internet Health Report, colabora com a Hyper Island como speaker e facilitador.

ERICA CASADO
cofundadora

Editora, designer narrativa e etnográfica, antropóloga pela Unicamp. Construiu sua trajetória multidisciplinar no terceiro setor, na indústria cultural e em instituições educacionais. Suas iniciativas de leitura e coautoria multiplataforma foram implementadas em universidades, espaços escolares, corporativos e comunitários. Criou a Narrathon e o #DicionárioVivo – etnografia semiótica transmídia, pesquisa autoral e permanente que já foi exposta em Bogotá, Buenos Aires e São Paulo. De 2015 a 2018, residiu na Colômbia, onde realizou o #PeaceHackCamp, fundou a Rede de Poesia Iberoamericana Palavbras Andantes com editores e poetas de 15 países e editou o Ludopoiesis. Desde 2007, publica literatura, lide permanente e que caminha junto do seu propósito de transformar cenários reais, com pessoas inspiradoras.